O Beijo  

Posted by Therion in

Vivemos perdidos em sonhos adolescentes
Vivemos presos a mundos diferentes
Amores totais, amores doentes
Quanto mais amas, menos tu sentes

Num mundo cheio de amores cruzados
Vivemos sozinhos, desapaixonados
Trocamos de cuecas como de namorados
Vivemos, no fundo sendo mal amados

Dizemos que é para sempre, mas o sempre, acaba cedo
O que queremos nunca está perto e o longe mete medo
Sentimentos vendidos no calor do momento
Pensamentos perdidos levados pelo vento

Caminho por ruas estreitas em busca do que não quero
Uma luta constante de um profundo desespero
Sonhos vazios só para me fazer continuar
Numa busca oca, pois é obrigatório amar

Não choro com lágrimas como um comum mortal
Choro por dentro como um animal
Não procuro amor nem sei se quero amar
Procuro lágrimas perdidas no fundo do mar

Abraça-me agora por todos os adeus que nunca dissemos
Diz-me que ainda sou o homem que fui
Asseguram-me que sonhas com o que nunca vivemos
E que o amor esquecido é um rio que flui

Se soubesses a tristeza de se estar sempre triste
verias as coisas como eu sempre vejo
Impávido e sereno de espada em riste
Que deixo cair com o calor de um beijo.

This entry was posted on terça-feira, novembro 18 at terça-feira, novembro 18, 2008 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

15 Devaneios

"Impávido e sereno de espada em riste
Que deixo cair com o calor de um beijo."

Sem dúvida, a minha parte favorita, que tinha mesmo de ser o final. Qualquer coisa escrita depois tiraria o impacto.

18 de novembro de 2008 às 03:14

E é tao verdade! Assim me sinto...

18 de novembro de 2008 às 07:04

Muito Bonito, muito actual, muito sentido!

Beijinhos
P@pinh@

18 de novembro de 2008 às 10:59

Sem dúvida, este anónimo tem algo a dizer.

Gostei muito. E concordo, acho que o amor é banalizado. É tal a procura que se esquecem do amor.

Ainda há dias ouvi uma conversa entre 2 miudas com a minha idade, amigas, uma não sabia o que dizer ao namorado por sms , e aquela obrigação de dizer algo meigo foi completamente forçado, e sentimentos tão fluidos como amor esvaiem-se nessas formalidades.
E a amiga, ia mandando bitates, que raio de coisa é esta ???

Claro que não disse nada, primeiro porque não me pagam, segundo porque não tenho nada a ver com os outros...

Só sei é que existe uma urgência em estar acompanhado ou ter namorado de tal forma que já nem é preciso ter sentimento.

Mais tarde queixam-se que não são retribuidas, enfim ciclos viciosos e retrógados apoiados na cobardia de não querer estar só, um sofrimento gratuíto e completamente em vão.

Lá está, já dizia o outro, aquele que é imortal - Conhece-te a ti mesmo.

Infelizmente até essa pequena citação, tão natural como verdadeira é mal interpretada por grande parte dos comuns mortais.

18 de novembro de 2008 às 11:02

Por acaso até gostei muito :P, tendo em conta que não faz muito o meu género de leitura :P

vivemos no calor do momento e nunca estamos satisfeitos...

18 de novembro de 2008 às 11:16

Bem bem verdade o que escrevestes.
Adorei!... quero ler também o abraço, os sussurros, a pegada...

Hehehe

=]

19 de novembro de 2008 às 13:06

Adorei!
"Se soubesses a tristeza de se estar sempre triste
verias as coisas como eu sempre vejo
Impávido e sereno de espada em riste
Que deixo cair com o calor de um beijo."
Vejo esperança neste final.

24 de novembro de 2008 às 14:14

windo! "Não choro com lágrimas como um comum mortal
Choro por dentro como um animal
Não procuro amor nem sei se quero amar
Procuro lágrimas perdidas no fundo do mar"
realmente o amar actual é algo muito bittersweet...

26 de novembro de 2008 às 21:43

"Impávido e sereno de espada em riste
Que deixo cair com o calor de um beijo."
é da armadura enferrujada. . .talvez.
eu desconfiava do heterónimo, ás vezes pensava que sim, mas depois achava que não. =D

13 de janeiro de 2009 às 01:10

Bah agora que já assumi que sou o Anónimo, é fácil :D

13 de janeiro de 2009 às 04:26

LOL, tu querias era elogios.

13 de janeiro de 2009 às 16:32

eu diria mais obvio..=)) hehe

eras tu, mas sem o teu nome e metia confusão, ainda por cima dares oportunidade a um anonimo era no minimo estranho. mas ok.
=))

Bj

14 de janeiro de 2009 às 02:18

I.D.Pena disse...

"LOL, tu querias era elogios."

Se tivesse escrito como Bruno Fehr teria mais comentários e elogios, daí ter feito um heterónimo, para ter um teste real.

14 de janeiro de 2009 às 02:31

lontra=) disse...

"eras tu, mas sem o teu nome e metia confusão, ainda por cima dares oportunidade a um anonimo era no minimo estranho. mas ok."

A ironia do nick :)

14 de janeiro de 2009 às 02:31

Bruno Fehr.

"A ironia do nick :)"

Só tu, :D. Gabo-te a imaginação.

15 de janeiro de 2009 às 22:07

Enviar um comentário