Sem nexo :)  

Posted by Unknown in

Gosto de ti porra!

Desde daquele dia em que te vi, esparrameirada no passeio, pois tinhas tropeçado num calhau. Fiquei apanhado do clima por ti. Observei o teu cu enquanto te compunhas e rapidamente te afastavas ainda manca, não sei se do tralho ou se partiste um tacão. Ca ganda cu. Ganda não do tamanho mas da qualidade. Imaginei-me a espancá-lo enquanto que dava umas cabeçadas com o meu Zé Tólas. Se isto não é amor, então não sei o que é!

Dizem-me que não sou romântico, só porque não ofereço ramos de urtigas ou lá o que elas gostam. Claro que sou romântico, acho que é romântico dizer a uma gaja que ela me dá câimbras genitais sempre que passa por mim, que gostava de ter 3 mãos só para lhe segurar os peitos e ver se eles rebentam. Dizem-me “ah e tal, aquilo são mamas de supermercado”. E então? O que interessa se ela comprou as mamas em saldos? Não sou racista não tenho nada contra a

silicone

Mas o que é que este gajo quer que eu escreva a partir desta palavra?! A verdade é que fiz logo uma busca pelo Google e mesmo assim não tive nenhuma epifania ou inspiração, mas descobri o nome do químico inglês que foi pioneiro no estudo dos compostos orgânicos da sílica (ou dióxido de silício) e que inventou a silicone, usada para inúmeros fins que não só os da cirurgia estética ou reconstrutiva.
E já não tinha uma aula de química há muito tempo. E desculpem se me atrasei a escrever este cadáver esquisito. A verdade é que, entusiasmada com a matéria, (e isto de ser-se autodidacta com internet dá-nos demasiada liberdade) dei por mim a ver minerais, imaginem! O quartzo, por exemplo, é o mineral mais abundante da terra, é composto por tetraedros de sílica que formam um prisma. Por outro lado, o espodúmena, (que nome lindo) é mais raro e é a principal fonte do Lítio e este último (vou já acabar, ok?), para além de ser usado nas baterias eléctricas, é considerado como anti-psicótico e serve como tratamento para o transtorno bipolar.

This entry was posted on domingo, setembro 13 at domingo, setembro 13, 2009 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

8 Devaneios

A isto chama-se "Esquisito", ou "desconversar"... :S

13 de setembro de 2009 às 23:35

Ahahahah

Aplica-se aqui o lítio!!! Na perfeição!!!

:D

Beijitos a ambos :)

14 de setembro de 2009 às 01:01

ora aí está um bom fármaco!! lool

bj

teresa

14 de setembro de 2009 às 01:51

ahahahahahah excelente forma de escrever. Bem, a primeira parte então está divinal :-)embora realmente nao desse grande mote pra segunda.
parabens aos dois

14 de setembro de 2009 às 01:55

Quando li a primeira parte pensei (e mesmo assim com as asneiras e tudo)

"Mas ca puta de merda é esta pah?!"

De rir, é que não é non-sense, não é nada, é o amor reduzido ao seu minimo, ao que importa, amor é sexo e o resto que se foda!

Grande Bruno, estás lá.

E depois disto levar com uma aula de química e minerais, Ipsis, obrigada por toda esta informação, eu não faria melhor seguramente! Isto não é cadáver esquisito nenhum, isto é... Nada...

Gostei, claro que sim!

Quanto ao vernáculo, a culpa é do Bruno Fehr que soltou a brejeira que há em mim. Eu cá não uso estas palavras. Nunca nunquinha. Nada, zero...

Pois claro.

14 de setembro de 2009 às 15:56

Bruno,

Ficou esquisito mesmo. Porque o que eu queria não era desconversar, mas isso implicaria mais texto, e eu já me estava a esticar demasiado para lá chegar. Senão repara: bipolar (dois polos) dava pano para mangas. AHAHAH

E sem combinarmos mudámos ambos a maneira de escrever. Isto cheira-me a que o próximo é que vai ser... ahahah :)

15 de setembro de 2009 às 00:51

Muito sábia, a Ipsis Verbis. Nada como 'curar' a imaginação de um gajo com rasgos de sabedoria. Perdem logo a vontade de pensar com o Zé Tolas (brilhante, esta, Bruno).
Eh eh

18 de setembro de 2009 às 12:17

opah, "Zé tolas"? que é esse?

22 de setembro de 2009 às 02:10

Enviar um comentário