Um bilhete, que não foi entregue.  

Posted by A Mor..

Um dia, no passado, eu disse que de você, eu queria devoção. Eu não brinquei quando disse isso, falei serio; mas não sei se me compreendeu. Devoção, não é nada mais que alcançar a profundidade da intimidade, vai além de total cumplicidade. Vai além, muito além.

Devoção, não se trata de culto. É afeto, é dedicação, é uma veneração especial. Falando poeticamente, “é um querer bem mais que bem querer”.

Duas coisas foram decisivas para que fossemos juntos. A primeira delas, é o seu olhar, a felicidade que ele mostrava pra mim; e a segunda, um detalhe do nosso primeiro encontro, o carinho que você dedicou a mim, naquela noite. Você nunca foi tão carinho como naquele primeiro dia. Muitas coisas já me chamavam atenção em você, mas isso, foi realmente o que selou a minha escolha, em ser Sua.

Tenho sido Sua, desde aquele dia, desde aquela noite com luar e sem estrelas. E agora, depois de 6 meses, me pego perguntando, se você tem sido Meu, se tem sido devoto a mim.

Eu tentei fincar minha bandeira, construir mais de meus labirintos, levantar meus edifícios, fundar civilizações. E, da minha maneira torta, fui desequilibrando teu ecossistema, quando tudo o que eu queria era plantar sementes, ver nascer arvores fortes e frutíferas.

Entenda, o meu descontentamento, não tem nenhuma relação com sua falta de tempo. O meu descontentamento, é pela falta de profundidade, pela falta de disposição. Em minhas veias, corre sangue quente, minha seiva é calor e é isso que me mantem viva! Por que sou calor, porque faço calor!

Tenho andado fria, me sentido morta e você não faz nada pra me aquecer.

This entry was posted on terça-feira, setembro 27 at terça-feira, setembro 27, 2011 . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

3 Devaneios

Devoção...

Quantas vezes não nos devotamos a quem acaba por nos deixar mortos de falta de atenção?...

Mas devoção, sim, é algo que se quer... Não é escravatura, não é obrigação, é mesmo isso: devoção...

Belíssimo texto, este. :)

Beijitos :)

28 de setembro de 2011 às 22:40

Tudo o que esperamos quando verdadeiramente nos doamos. Quando entregamos-nos.
E assim, a utopia se revela, rompendo laços que pensamos que seriam para sempre, e o para sempre se faz, finito.

Obrigada Fada.

2 de outubro de 2011 às 03:47

aMor,

Quando duas almas procuram a melhor forma de se tocarem, a magia sempre anda por lá (acredito que somos o mais perto da perfeição, como pessoas, nesse momento).O meu segredo ? Não idealizar o que é para mim a relação ideal com aquela pessoa, porque percebi que isso não existe. Se amamamos e somos amados de forma de nos agrada, perfeito. Se não, é fazermo-nos à estrada outra vez...

6 de outubro de 2011 às 17:30

Enviar um comentário